segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

O PRESENTE

Potira itapitanga.
2016, seja bem-vindo!

Si la humanidad surgió en África,
poiesis (poesía) ha nacido donde hoy es Suramérica.
If humanity arose where Africa is now,

poiesis (poetry) arose where Brazil is now.

Para escritores, o texto busca enaltecer e embelezar, e todo escritor ou escritora brinca com o corpo da mãe (língua materna) para o glorificar, ou para despedaçá-lo – no limite daquilo que do corpo pode ser reconhecido linguisticamente. É permitida (ou não) a constatação ou desfiguração da Língua (Corpo) de que se frui e se desfruta em total passagem ao crédito do prazer.
SANTIAGO, 2015.


O Sertão... Ah! O Sertão. Como pode ser tão grande o Sertão? E quase sempre ser tão sozinho. Ser tão solitário... Ser tão grande, vazio, nu! Hoje é outra história, mas em seu princípio ele desejava, ansiava e se desesperava por alguém ou pelo menos algo. Mas ninguém nem nada queriam morar ali, viver com ele. E o Sertão chorou. Chorou em seco e com lágrimas de areia que jorravam como ampulheta. E sua angústia durou tanto tempo que se perdeu a conta.
Uma manhã um homem se perdeu ali. Ouviu o choro, mas morreu sem se importar com o Sertão. Outros homens e algumas mulheres também se perderam e morreram desinteressados. O mesmo se pode dizer dos animais.
Uma noite, porém, um homem se encontrou no Sertão.
Em busca de uma vida melhor Benito viajou pelo mundo até cair no Sertão. Esmorecido pelo calor, fome, sede e esgotamento caiu por terra. Com o rosto no chão escutou um barulho. Era o som da tristeza; tristeza do Sertão.
- “Estou só. Quero alguém comigo”. E outras coisas mais falou, como se cantasse em lágrimas. Sempre tão carregado de melodiosa tristeza que comoveu o moribundo.
- “Aceito lhe fazer companhia” – Com o resto de suas forças sussurrou e se aconchegou para morrer em paz; morar no Sertão a sua derradeira morada.
Contudo a alegria do Sertão foi tanta e tão tocante que sob os auspícios dos deuses presenteou o viajante com coragem maior que seus medos, resistência maior que suas forças, com imaginação maior que suas certezas e com palavras tão belas quanto suas histórias.
E foi assim que os contadores de histórias, poetas, músicos e demais artistas surgiram no mundo. Se a humanidade surgiu onde hoje é a África, poiesis surgiu onde hoje é o Brasil. E todos os agentes culturais são possuidores do Sertão interior e descendentes do Benito.


Ofereço como presente aos aniversariantes
Mirian F. Oliveira, Vilma Escarlate, Homero Dias, Gustavo Soares, Samanta Bela, Sarah Helena, Graça Maria, Marilélia R. Ezequiel, William Junior, Elton L. Macedo e Elizabeth, Josué S. Brito, Vitória Amaral, Elizete Losignore, Edson Nascimento, Claudio Oliveira e Edi Fonseca.

Recomendo a leitura de “Das Enchentes de Cloenes”, de Vinícius Siman: http://siman.blogs.sapo.pt/das-enchentes-de-cloenes-35583

Um pouquinho de aula de português:
Concordância Nominal: A concordância nominal é o relacionamento entre substantivo (algumas vezes pode ser pronome ou um numeral substantivo) e as palavras que o caracterizam (artigo, adjetivo, particípios e outros).
Concordância Verbal – Sujeitos ligados por:
“Com” tendo sentido de “e” o verbo vai para o plural se todos os elementos por ele ligados forem os agentes (O presidente com os secretários elaboram a reunião); “com” tendo sentido de “em companhia de”, mas o verbo realçando a ação do antecedente, o verbo concordará com o antecedente (O presidente, com todos os secretários, resolveu elaborar a reunião). “Nem” geralmente o verbo fica no plural (Mas ninguém nem nada queriam morar ali). “Ou” o verbo fica no plural se a ação se referir a todos os elementos do sujeito (Laranja ou banana são gostosos); se indicar retificação o verbo concorda com o último elemento (Os ladrões ou o ladrão não deixou vestígio); o verbo fica no singular se a ação se aplicar a um dos elementos e excluindo os demais (Vinícius ou Siman chegará em primeiro lugar); verbo no singular se os elementos forem sinônimos (A Linguística ou a Glotologia é uma ciência recente). “Não só... mas também”. “tanto... quanto” ou “não só... como” o verbo fica no plural ou concorda com o mais próximo (Tanto Siman como Vinícius participaram/participou do evento). “Como”, “assim como”, “bem como” em geral aparecem entre vírgulas e o verbo fica no plural (A persistência, assim como a coragem, forjam o escritor).

Texto inspirado e adaptado, mas não traduzido, de trecho do capítulo I do livro em espanhol Narradores de La Noche, de Rafik Schami, editora Siruela, Espanha.

SANTIGO, Rogério Zola. O Amor no Terceiro Milênio. Wilmar Silva de Andrade (org.). Belo Horizonte: Anone Livros, 2015.

Potira itapitanga são duas palavras que vem do tupi e significam “flor” e “pedra vermelha” (rubi). É meu desejo que cada leitor encontre em meus textos flores e pedras preciosas.


Escrito entre o início da tarde de 13 de junho de 2015 e 04 de janeiro de 2015. E viva Santo Antônio. Viva!

3 comentários:

Josmar Divino Ferreira disse...

Belo texto Rubem Leite, como sempre. Lindo dia.

Josué da Silva Brito disse...

Maravilhoso, Rubem Leite! Sou seu fã! Seus textos são cada vez mais espetaculares! E as dicas gramaticais são imprescindíveis para os leitores deste país!

Sonia Frei disse...

Lindo mesmo! Também sou sua fan, como o Josué, por que você tem uma coisa no escrever, de encanto e fantasia. Valeu!