domingo, 12 de fevereiro de 2017

APENAS ESTAVA LÁ


Sentado sempre no mesmo lugar. Ele na mesma mesa na mesma barraca; a de coquetéis.
Janeiro chegou e o sol com as férias escolares levaram muitos mineiros para o Espírito Santo. E levou os coquetéis também (mais lucro lá do que aqui). Na ausência das bebidas de sempre ele foi para outra barraca.
Alguns domingos comendo peixe e bebendo vinho branco comprado para ficar a espera na barraca.
Fevereiro chegou. E trouxe uma reunião de emergência no Senado para mudança no nome de um estado brasileiro. Agora não será mais ES, mas sim EP. Deixa de ser Espírito Santo para ser Espírito de Porco...
E, repito, fevereiro chegou. Os coquetéis também. Mas ele não voltou ao seu antigo lugar. Continuou onde estava apenas porque se acostumou. Não pensou em ingênua retaliação pelo tempo sem drinques. Apenas se habituou ao novo lugar. Mas também ninguém cobrou seu retorno antigo lugar. Ninguém notou a mudança dele.


Ofereço como presente aos aniversariantes
Tadeu Vilalba, Wellington P. Santos, Ana Mª Guerra, Ilton V. Melo, Rodrigo M.C. Silva, Sandra Lemos, Laura Simões, Saulo Almeida, Claudina Abrantes, Rodolfo Belo, Fran Silvestre (Torosca), Zé Mário Pimentel, Daniel S. Emílio, Hugo de la Vega, Fernanda de Lima, Walter B. Villar, Lucas Vidau, Márcia Carmo, Katia Macedo, Geraldo Cupertino, Thalita Kiro, Mª Fátima W. Leite Macedo e Susilene Justino.

Recomendo a leitura de “Na janela do ônibus em um dia chuvoso”, de Saed; e “Vamos nos divertir juntos”, deste que vos fala. Respectivamente:


Escrito 08 de janeiro de 2017. Trabalhado entre os dias 25 de janeiro e 12 de fevereiro do mesmo ano.

Um comentário:

Carlos Glauss disse...

A inveja cria o roubo, furto, peculato. O desejo de destruição alimenta a ira e intolerância e quase sempre é prática de quem nada constuiu. A mentira engana todos e sucita odio que viabiliza a morte... Sabemos quem representa o roubar, matar e destruir...