segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

O GERÚNDIO DO TEMOR

Obax anafisa


O sol brilha sem dó sobre a irrigada grama verde e o arrepio provocado pela cachoeira geladinha acalma e diverte os seis amigos – Benito, Vinagre, Tiago, Erika, Érikis e Melyssa.
Vejam a poesia que fiz ontem – diz Benito:
Como vão as coisas na casa grande?
- Palácio da Alvorada -.
Casa grande é Casa Branca
Para nós que somos da senzala.
Quem é da cozinha quer saber
Como é a vida de madame.
Diz pra nós que não entramos na sala.
- Boa, muito boa! – Érikis diz com sorriso.
Vinagre muda de assunto:
- Um conhecido postou no fb foto de ator bonitão aos beijos com outro homem e disse para sua esposa “não falei?!”. A mulher dele, em retaliação, postou a foto de dois jogadores de futebol que se beijaram após a partida e disse para o marido “não falei?!”. Minha pergunta, retórica, aos dois foi porque falou? Retórica porque a base de sua pergunta foi a convicção religiosa de ser dono da verdade e criticar os outros (condenar os outros; mas condenar o quê, o amor?). Por essas e outras que abdiquei do cristianismo. Gosto demais de Cristo para ser cristão.
- Ah, gente! Querem saber? Prefiro ler o ebook Urdume, de Rubem Leite, que discutir com boçais. – Continua Erika. – É bem mais legal.
- Falando em boa leitura, vejam o que li agorinha mesmo. – Diz Tiago encaminhando para a margem. Pega um livro, abre, senta na pedra e lê para nós, que nos voltamos para ele como alunos diante de seu professor:
“Era uma situação embaraçosa aquela. Juvêncio enrolado numa toalha, com Pafúncio (o peru) no pescoço, ajudando a menina a se recompor. O jovem Juvêncio escorregou numa galinha gorda e se estatelou no meio das aves, por cima de Jovina. Sua toalha caiu. O peru levantou voo. Jovina arregalou os olhos. As galinhas se esporravam. Vacas mugiam a distância, Juvêncio, diante do caos não sabia se oferecia o peru à Jovina ou pegava a toalha. Jovina não sabia se aceitava o peru ou se arrumava a peruca. Pafúncio aproveitou aquele jazz e foi saindo de fininho, assoviando um fado. Mas Juvêncio e Jovita, que a essa altura já haviam resolvido tudo sobre o peru, voaram sobre o Pafúncio e o interceptaram. O peru esperneou, mas era tarde demais”.
- Uarrarrá! Quem escreveu isso?
- Foi Chacal, Benito. No livro Comício de Tudo.
- Huuum! Que vocês têm feito atualmente? Eu estou gerundiando: lendo, escrevendo, estudando, trabalhando, namorando.
Todos riem. Menos Benito que continua:
- O que vocês mais temem?
- Não darmos certo. – Diz Tiago. Erika confirma com a cabeça e pega séria na mão do namorado.
- Não conseguir sucesso. Ou mesmo sequer conseguir ir para a faculdade que sonho. – Afirma Érikis.
- Temo ser mãe e não ser. – Melyssa explica: Temo ser mãe fora da hora ou nunca ter filhos.
- Temo que o final do livro que eu estiver lendo seja ruim.
Todos riem. Menos Benito. E Vinagre:
- Que papo mais sombrio para uma cachoeira tão ensolarada.
- Estou com fome. – Diz Tiago.
Nadamos até ele para comermos algo escutando os pássaros e vendo a flora. Tranquilidade!


Ofereço como presente de aniversario a:
Elcio F. Vitarelli, Marlene Brum, Eddy Khaus, Wadson Lourenço, Celia M. Vidal, Rodrigo Robleño, Frederico A. Candeias, Vitória Soares, Renata Silva, Gleison Oliveira e os poetas Cida Pinho e Renato Silva. Sucesso para Usina Velha.

URDUME é um ebook de poesias para exorcizar lamentos de amor, raiva e dor exacerbada através de sentimentos apurados e de um posicionamento significativo no mundo.
Obra bilíngue (português e espanhol) de Rubem Leite; publicada pela editora CÍRCULO DAS ARTES. Ilustração de Bruno Grossi. Revisão de Cida Pinho e Lilian Ferreira.
Para adquirir: www.amazon.com.br

Escrito entre 01 de dezembro de 2013 e 03 de fevereiro de 2014.

CHACAL. Comício de Tudo: poesia e prosa. São Paulo: Editora Brasiliense, 1986. Peru de Natal.


Em banto, obax anafisa significam flores e pedras preciosas. O texto é minhas flores para você e faço votos de que encontre nele pedras preciosas.

Um comentário:

Tiago Barros disse...

Parabéns Rubem, muita criatividade, sua opinião ficou como sempre exposta sobre o cristianismo. Acho que a briga está acirrada nessa polêmica, porém ambas nunca se vencerão, ainda vai render muito isso ai...Bom mas não estou aqui para expor a minha, e sim para elogiar seu trabalho.
Mais uma vez parabéns, que continue assim, criando seu caminho cultural, certeza um dia, ou breve será um escritor tendo seus trabalhos traduzidos em vários idiomas e sucesso mundial... !!


Certeza disso..!!
Att, Tiago Barros De Alcantara