segunda-feira, 24 de março de 2014

HÁ?

Obax anafisa.


Os últimos escuros da madrugada lentamente vão dando lugar às primeiras luzes na madrugada.
escuro
e
galo
magia
para
amanhecer

água
do
café
da
mãe
d’água

“Ai, credo! Magia é coisa do diabo”.
- Foi o que Maria, minha noturna companhia, me falou ao ouvir minha aldravia e somente consegui dizer “Son of a bitch” enquanto me afastei pensando na grandeza das pequenas coisas. Ninguém merece escutar uma bobagem tão grande em uma frase tão pequena então preparei o café para ela poder ir embora e me deixar sossegado.
- Mas você, também, Benito. Fica escrevendo coisa de bruxaria. Rirri.
- Eye of potato... Ear of corn... Head of lettuce…
- Que isso?
- Ingredientes para feitiços de bruxas veganas gringas. Como vi numa charge.
- Rerrê. Onde está a grandeza que você falou? Nas suas aldravias? Na fala da antagonista? No Urdume, seu ebook?
- Boa questão. O que me faz me perguntar se aí está o conflito de uma boa literatura. Se há boa literatura brotando de mim. Mas o conflito é essencial? “Uma ocasião, \ meu pai pintou a casa toda \ de alaranjado brilhante. \ Por muito tempo moramos numa casa, \ como ele mesmo dizia, \ constantemente amanhecendo”.
- Não vai me dizer que você escreveu isso?
- Não, não vou. É de Adélia me fazendo perguntar a mim mesmo se há literatura sem conflito. E de Machado de Assis eu capturo que “O que se deve exigir do escritor antes de tudo, é certo sentimento íntimo, que o torne homem do seu tempo e do seu país, ainda quando trate de assuntos remotos no tempo e no espaço”.
- E então, há literatura sem conflito?
Com a pergunta as últimas luzes da tarde lentamente vão dando lugar aos primeiros escuros da noite.


Ofereço como presente de aniversario a:
Ana L. Pena, Raphael A.L. Macedo, Charlston Moraes, Camila Valadares, Letícia Reis (Lê), Murillo Carter, Ranulfo L. Gonçalves, Marco Go Round, Vagner Llari, Claudinei Souza, Liliane L. Melo, Cledir Salvaterra, Marcelo MundoOposto Vocal, Denise Oliveira e Patrícia Dias (Paty).
Parabenizo também as entidades aniversariantes:
Pcb Ipatinga, CasaSom Rio Claro, Banda General Lee e, de modo especial, ao CAM (Clube Atlético Mineiro).

URDUME é um ebook de poesias para exorcizar lamentos de amor, raiva e dor exacerbada através de sentimentos apurados e de um posicionamento significativo no mundo.
Obra bilíngue (português e espanhol) de Rubem Leite; publicada pela editora CÍRCULO DAS ARTES. Ilustração de Bruno Grossi. Revisão de Cida Pinho e Lilian Ferreira.
Para adquirir: www.amazon.com.br

Escrito entre 03 de fevereiro e 24 de março de 2014.

Em banto, obax anafisa significam flores e pedras preciosas. O texto é minhas flores para você e faço votos de que encontre nele pedras preciosas.
PRADO, Adélia. Bagagem. São Paulo: Siciliano. 1993. p. 36.

ASSIS, Machado de. Machado de Assis: crítica, notícia da atual literatura brasileira. São Paulo: Agir, 1959. p. 28 - 34: Instinto de nacionalidade. (1ª ed. 1873).

2 comentários:

Ana Lúcia Pena disse...

Obrigada por tão rica homenagem e pela lembrança.
Abraços,

Unknown disse...

HÁ?
Fiquei deveras completo pelo teor e significância destas linhas talhadas ao longo de alguns instantes.
Sinto-me agraciado de poder contemplar este tão bem estruturado texto.
Mas o melhor mesmo, é ter um artista do teu perfil em meu rol de amigos.
Gracias