quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

“... A DOR DAS PALAVRAS É O ALÍVIO DA ALMA ...”*

Rubem Leite - 31 de agosto de 2008 - 4ª parte

Inspirado na peça Espreme Que Sai Sangue, da Cia Malarrumada – BH MG


--------------------------------------------


- “Que árvore é essa? Que bela copa a sua. E ela que não chega... Lindo tom de rosa. Ela ta demorando mesmo... Mas é lindo mesmo o tom de rosa de suas folhas. Que formigão, sô. Será que ele pica? – Sai!”. Diz Benito dando-lhe um piparote. “Aiaiaiaiai. Que demora, sô. Acho que vou ler esse pasquim”.

No pasquim:
Briga de Amigos Mata Mulher – Marcelo Oliveira e Glauco Mattos, dois grandes amigos, são separados por Juliana Martins, esposa do primeiro. Ela dá pra todos e assedia o amigo fazendo-os brigar. Brigar até descobrirem que se amam. Mas um tiro escapa matando-a.

- “Credo! Que Diana faria comigo se me pegasse com Ramon? Que idéia é essa Benito? Ta parecendo que é guei... Nunca aconteceu nada entre nós... Mas essa formiga é grande mesmo. E que ferrão... Eta mulher atrasada, sô. Vou ali comprar uma banana frita enquanto ela não chega”. Volto comendo. Sento e “Vou ler um pouquinho mais”.

No pasquim:
Grã-fino do high-society é morto por filho adotivo que era pobretão – Já que artistas “americanos” vão ao supermercado comprar um filho adotivo, porque riquinhos no Brasil não podem adotar um neguinho? Servirão depois para motorista ou jardineiro. Dois pelo preço de um: boa fama e empregado. E tem mais, a mulher mata o marido e põe a culpa no pretinho. Três pelo preço de um: boa fama, empregado e bode expiatório.

- “Eu é que to afim de matar a enrolada. Uma hora de atraso. Gente! Essa formiga está me incomodando. Vou um pouquinho mais pra lá. Que vento gostoso. Ramon é gostoso? Que isso? De onde surgiu esse pensamento? Não pode ser meu. Diana é que é gostosa. A mata é virgem porque o vento é fresco. É melhor mudar de pensamento”.

No pasquim:
‘Menina Veneno’ assassina professor de língua portuguesa – Adolescente assedia cunhado bom de boca, e língua, e o envenena por não largar a esposa para ficar com ela.

- “Quer saber de uma coisa? Eu vou é embora. Vou chamar o Ramon para gente jogar sinuca e catar umas garotas".


-----------------------------------------------------------


* Bruno Grossi, autor da frase que uso como título.

Um comentário:

leila disse...

Oi, Rubem!
Obrigada pela postagem homenageando nossa peça, Próxima Edição. Vai lá assistir a gente sexta , sábado ou domingo, neste fim de semana e no outro, às 18:30 Centro Cultural UFMG.
Abraços,
Leila Verçosa
(Cia Malarrumada)