segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

E DEPOIS, O SILÊNCIO

Obax anafisa.


Estou deitado na madrugada e no teto a lâmpada apagada parece piscar. Eu... Eu já vi isso antes e nunca de um jeito que pareça se acender. Apenas um brilho insignificante. Viro para o outro lado. Não há de ser nada. Cochilo. Abro o olho e de novo a Lâmpada pisca. Será ilusão de ótica? Deixa-me ver se faz de novo? Não! Está apagada mesmo. Esquisito ela fazer isso de vez em quando. Mudo de posição e tiro outra soneca. Acordo, olho para a lâmpada e nada. Vou voltar ao sono e ela dispara seu discreto flesh.

Estou sendo vigiado. Será que estão me filmando? Não, é só fotografia. Mas por que eu? Sou apenas um artista. Se bem que a arte é perigosa... Quem está me vigiando? O Governo? Ou será “USA, abusa e depois lambuza”? É só a mim? Ou o mundo está sendo controlado? Meu Deus, è as mulheres que trouxe para cá... Viram tudo que fizemos? E meus trabalhos... será que... Ai meu Deus! O quê que eu faço?

Calma, Benito, calma! Isso é só imaginação sua. Não fique neurótico. Respira... Isso... De novo... É só imaginação. Não tem nada acontecendo. Viu? Nada lá fora. Agora saia da janela, volte para a cama, acenda o abajur e continue a ler até dormir de novo. Onde parei mesmo? Ah, aqui! “Deixo essas linhas magras e outras tantas palavras mortas para que o vento num futuro próximo cole-as na minha amarga cova”¹. Meu Deus, a lâmpada piscou de novo... O que será que eu fiz? O livro... tem algum perigo em seu conteúdo? Não quero ser preso. Não quero morreeer. Uuuunf... Uuuunf... Inspira, espira. Uuuunf... Uuuunf... Não é nada. Vou ligar para alguém. Para quem? Tiago. Tiago Costa.

Atende, viado!

Tiago!? Estamos sendo vigiados... Não, caralho! Eu não disse que sou viado e sim que estamos vigiados. Como assim, já sabe? Não liguei para abri nenhum armário. Estou falando que tem alguém, o Governo ou sei lá quem, observando a gente, espionando. Não, anta, não estou saindo com nenhum Fernando. Adeus!

Que coisa! Não é a toa que desisti de celular. Paga-se caro por um serviço porco. Calma! Calma! Vou tentar de novo. No facebook. Vou escrever o que estou pensando no estatus. “Estamos sendo vigiados. Tem alguém, o Governo ou sei lá quem, observando a gente, espionando. Veja as lâmpadas”. Agora é esperar quantos curtirão e quantos comentarão. Vou pegar outro livro. “CLASSIFICADO: ‘Troco futuro do País por cesta básica. Entrega após eleição (mas só se eu ganhar)’²”. Ah! Um comentário. De... Vera Helena Saad Rossi. Que chique, uma escritora. “Na minha casa também já vi isso. Não há de ser nada. Só algum problema na fiação. Volte a dormir e finja que nada está acontecendo. Será melhor para você. Acredite em mim, será melhor para você deixar de perceber as coisas. Repito, é só um problema na fiação”.

Quê?! Quem bate na porta a esta hora... Quem é? Como você está destrancando a porta? Por quê? Sai da cama, rapaz, e fuja. Na área de serviço ouço o barulho da porta batendo na parede.


Escrito entre a madrugada de 27 de dezembro de 2011 e a madrugada de 02 de janeiro de 2012.

Ofereço como presente de aniversário à

Maria da Graça, Áurea Arruda, Marilélia Rocha, Ana L. S. Souza, Alex M. Vidica, Tony Brizzante, Adriana G. Lizondo, Elton L. Macedo e Bete, Wagner Moura, Giuliano Maciel, Suedy F. Santos e Pé de Cabra Coletivo.

----------------------------------------------

Em banto, obax anafisa significam flores e pedras preciosas.
O cronto é minhas flores para você

e faço votos de que encontre nele pedras preciosas.

¹ DELARTE, Willian – Sentimento do Fim do Mundo – São Paulo: editora Patuá, 2011, pág. 100

² ROSSATTO, Edson – Cem Toques Cravados – São Paulo: Andross, 2010, pág. 99

4 comentários:

IPATINGA SOMOS NÓS disse...

Obrigada pelo belo presente !

Maura Moreira disse...

isso acontece comigo também, problemas de fiação que mais se parecem perseguições psicológicas! deve ser o tempo. deve ser o peso de nossas escolhas. em mim acontece muito isso, eu decido e lá vem uma grande onda de 'riscos e contaminações' que eu tenho que enfrentar e/ou nadar... é realmente melhor, se fosse possível, não percebermos nada disso... só que eu não sei não... meus anjos subversivos tem dormido cada vez mais do meu lado.


adorei sua escrita. Abraços, Mauri Moreira.

maria das gracas mendinça disse...

Obrigada meu grande amigo, pelo lindíssimo presante amei,
Jesus te bençõe, beijossss...
02 de Janeiro de 2012.

Vera Helena disse...

Que delícia. Somente agora li este cronto. Virei personagem, muito chique! Adorei! (será melhor deixar de perceber as coisas, sugestivo..) Muito obrigada,

Beijo grande