segunda-feira, 27 de maio de 2013

UM CONTO DE FADAS SAFADAS

Obax anafisa.


Era uma vez, em um reino distante, um príncipe de alabastra pele louçã e de madeixas louras ao raiar do sol. Seus olhos, duas safiras. Seus lábios, rubis.
Apareceu uma perereca e lhe disse “Beije-me, meu príncipe de olhos de safira e lábios de rubi e eu me transformarei em uma linda princesa”. E o príncipe contestou: Não, não, não! Jamais colocarei meus principescos lábios de rubi em uma coisa tão repugnante. O que me diria o meu time celeste se soubesse disso?
A anfíbia nervosa, estressada e com ódio disse: “Vou te destruir, príncipe de alabastra pele louçã e madeixas louras ao raiar do sol, por me deixar seca, seca, sequinha”. Ela procurou uma bruxa malévola para sua vingança. A bruxa era ligada à Maldita Trindade. Ela era filha do Edi Mais Cedo, esposa do Mala e Faia e mãe do Filie Esse Ano, pegou sua Biba Sangrada, leu umas palavras e a urucumbaca aconteceu.
O príncipe de alabastra pele louçã, louras madeixas ao raiar do sol, olhos safíricos e lábios de rubi caiu numa alienação total que mais parecia um sono terrível.
Então numa bela tarde apareceu, de outro reino distante, um príncipe encantando de pele cor de jambo e cabelos “blequepáuer” ao por do sol. Seus olhos, duas jabuticabas. Seus lábios, carmim. E puxou uma conversa, mas dos lábios de rubi de nosso príncipe de pele de alabastro, madeixas louras ao raiar do sol e olhos de safira não saía coisa que prestava. Então o grande príncipe alienígena de pele cor de jambo e cabelos “blequepáuer” ao por do sol, olhos de jabuticabas e lábios de carmim o desafiou para um duelo de espadas e a peleja foi tamanha que o príncipe de pele louçã, madeixas louras ao raiar do sol, olhos de safira e lábios de rubi foi obrigado a pensar, raciocinar e se curou da alienação, e juntos passaram a lutar contra os bruxos maus do mal.
A anfíbia foi se acalmando com o passar do tempo e quando seu ódio arrefeceu e morreu ela se arrependeu do que fez, conheceu uma irmã de espécie e foram felizes para sempre. Sabendo do perigo, a bruxa e sua família fugiram acovardados para um poço de fogo no fundo da terra e lá sofreram os horrores inomináveis com que ameaçavam a humanidade pacífica. E os dois príncipes dividiram um castelo e foram felizes para sempre.


Ofereço como presente de aniversário:
Kátia G. Paula, Ivone M. Andrande e Claitom Luz.

Em banto, obax anafisa significam flores e pedras preciosas. O texto é minhas flores para você e faço votos de que encontre nele pedras preciosas.


Escrito entre 12 de abril e 27 de maio de 2013.

Um comentário:

Jackeline Vasconcelos Valentim disse...

Ótima e irreverente leitura do nosso momento político-social