segunda-feira, 2 de junho de 2014

MACHO PRA BURRO

Obax nafisa.


Antigamente, quando escrevia, deixava entrever minha ternura, mas com muito medo. \ Queria que todos os meus romances cheirasse a sangue e viessem rotulados com o carimbo de: Machos pra Burro. \ Foi preciso que chegasse aos quarenta anos para perder todo o terror de minha ternura e derramar por minhas mãos que queimam de carinho (quase sempre sem ter ninguém para o receber) a simplicidade deste meu livro. Leia-o quem quiser. De uma coisa estou certo: não tenho nada de que me desculpar perante o público. \ Apresento, pois, Rosinha, Minha Canoa”.
VASCONCELOS, 2005


Já tive um medo assim. Mas hoje estou quase curado. Escrevo porque não posso me calar. Leia-me quem tem ouvidos.

E o preto
E apanhou o preto
E apanhou o bandido preto
E apanhou o bandido preto pobre
E apanhou o sem estudo bandido preto pobre
E apanhou o sem estudo bandido preto pobre de rua

E foi mutilado e humilhado
E depois foi a vez da dona de casa.
Bem feito! Quem mandou ser confundida?

E bateu o estudado cristão branco classe média do shopping
E bateu o estudado cristão branco classe média
E bateu o cristão branco classe média
E bateu o cristão classe média
E bateu o cristão
E o cristão


Ofereço como presente de aniversario a:
José Carlos Rosa, Gabriela Macedo, Valdiene Gomes, Tania Ezequiel, Isa Zeff, Selma Albergaria, Adriana Garcia, Lua Salles, Alexandre Magno, Danielle Guerra;
Aos agentes culturais aniversariantes:
Bruno G. Gomes, Kilder Andrade, Rodolfo Gatti, Ana B. Cecilia, Leandro Silva;
E às Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa (Belo Horizonte MG) e Biblioteca Pública Municipal Zumbi dos Palmares (Ipatinga MG).

Convido a conhecer o livro URDUME é um ebook de poesias para exorcizar lamentos de amor, raiva e dor exacerbada através de sentimentos apurados e de um posicionamento significativo no mundo.
Obra bilíngüe (português e espanhol) de Rubem Leite; publicada pela editora CÍRCULO DAS ARTES. Ilustração de Bruno Grossi. Revisão de Cida Pinho e Lilian Ferreira.

Leiam o texto A Rosa e o Estômago, de Bispo Filho; e Um Poema pra Chamar de Seu, de Thiago Domingues. Nos endereços

VASCONCELOS, José Mauro de. Rosinha, Minha Canoa: romance em compasso de remo. São Paulo: Melhoramentos, 2005.

Em banto, obax nafisa significam flores e pedras preciosas. O texto é minhas flores para você e faço votos de que encontre nele pedras preciosas.


Escrito entre 07 de fevereiro e 02 de junho de 2014.

5 comentários:

Alexsandra Gregório disse...

Excelente!!!!

Jaueline Carla disse...

Kkk....muito bom Rubem! ;-)

wadson souza henriques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana Dias disse...

MUITO BOM! ADOREI!

Josiane Hungria disse...

Tenebroso tempo este em q vivemos...cristãos tão longe do CRISTO... ótimo poema...