segunda-feira, 2 de novembro de 2015

BORBOLETAS

MARIPOSAS


Potira itapitanga.
Dia de Finados – Día de los Muertos.

Am I a butterfly? I want to be a butterfly!


Em português

Ovos pôs uma borboleta
Escolheu uma planta errada
“É meu corpo”, grita violenta
Para as lagartas, pá e enxada.
Mas outra,
Uma borboleta escura,
Veleja no olor do pão
Boa pessoa segura
E arrima o inseguro irmão.
Enquanto isso,
Amarela borboletinha as flores amarelas ama
Branca borboletinha com flores brancas se assombra
Preta borboletinha, dela nenhuma flor há que se compre
Laranja borboletinha voeja cantarolando livre sem lar.


En español

Huevos pone una mariposa
Optó por una planta errada
“Es mi cuerpo”, grita nerviosa:
Para las orugas, pala y azada.
Sim embargo, otras,
Unas mariposas oscuras,
Velejan en olor de pan
A sus hermanos, personas puras,
Fortalecen y no abandonan.
Mientras eso
Amarilla mariposita a las flores amarillas ama
Azul mariposita se encanta con aguazul
Negra mariposita vuela, vuela, pero no se aliene
Naranja mariposita por todas las flores tiene gana.


Ofereço como presente de aniversário
Carol Ribeiro, Sara Souza, Cristina Abreu, Adão Gurgel, Alvarino Silva, Gabriella L. Silva, Moisés Correia, Rosa Alda, Thiago Henrique e Dayane Andrade.

Recomendo a leitura de
“Seja o Sol de Seu Dia”, de Jackeline V. Valentim; “Dez Epitáfios”, de William Delarte; e “PARA Quem Tem Saudades”, de Nathalia A. Costa. Respectivamente nos endereços:

Potira itapitanga são duas palavras que vem do tupi e significam “flor” e “pedra vermelha” (rubi). É meu desejo que cada leitor encontre em meus textos flores e pedras preciosas.


Escrito entre a manhã de 18 de abril e a madrugada de 02 de novembro de 2015.

2 comentários:

Josmar Divino Ferreira disse...

Rubem Leite faltou dar destaque a beleza da dança destas suas borboletinhas nas flores visitadas. Mariposas, à noite, nas avenidas das grandes cidades fazem furor... Belo poema. versos consistentes. Como sempre é prazeiroso ler tuas publicações. Parabéns. e Linda semana cheia de encantos poéticos.

Carlos disse...

Parabéns Rubem... vejo aqui mais uma vez um pouco deste seu fascínio pelas laranjeiras...