segunda-feira, 28 de julho de 2008

“Seus dias de fartura estão contados”

Rubem Leite – noite de 27-07-08
rubemleite@notaindependente.com.br
Visite regularmente o sítio www.notaindependente.com.br



Mim --------------- Quando te conheci solto eu já tinha sido preso
Passei a madrugada apanhando
E com o sol os guardas me perguntaram
“Sofreu alguma violência? Quer dar alguma queixa?”


Eu ------------- Quando te conheci solto eu nunca tinha sido preso
Nem de meus pais sei direito o que é surra
Se eu não via a luz era por fechar meus olhos
De noite via a Luz e as estrelas
De dia via as flores e as borboletas


Mim ------------------- Quando te conheci solto eu já estava solto
– Meu corpo estava solto


Eu ------------------- Quando te conheci solto eu não me via solto
Meu corpo estava solto


Mim --------------------------------------- Quando nos vi soltos
Meu corpo solto quis enlaçar o seu
Mas eu estava impedido


Eu ----------------------------------------- Quando nos vi soltos
Meu corpo saltou para enlaçar o seu
Eu estava me desimpedindo


Mim --------------------------------------------------------- ...


Eu ---------------------- Você não se desimpediu se vendo livre
Eu

2 comentários:

ARTISTA e ARTEIRO - Rubem Leite disse...

Caralho! É doido o q escreveu, meu

carlos disse...

Li............ quando eu li pela primeira vez não entendi, mas como a literatura é uma criação coletiva, sempre em transformação, para mim o pano de fundo d'os seus dias de fartura estão contados é uma trepada.

Liberou geral.

Salve,

Carlos H. Peixoto